Perguntas e Respostas

hd-wallpaper-australia-australia-flag-art-wallpaper
Oi pra você que visita o blog mesmo ele estando às moscas ultimamente. Acontece que já voltei ao Brasil, e nessas idas e vindas a gente acaba numa correria e algumas coisas acabam ficam em segundo plano, o blog ERA uma delas. Depois que voltei tive muita coisa para resolver, a adaptação ao Brasil foi a pior delas, passei por um momento de depressão e síndrome do pânico e eu não conseguia ouvir falar da Austrália que meu coração já sentia um enorme aperto. Pois é, é assim mesmo, eu não acreditava, mas só fui entender isso na volta.

Nesses últimos meses longe do Brasil recebi muitos comentários, muitas perguntas e muita força via mensagens e pela página também. Acho que a melhor forma de voltar a publicar aqui é responder todas elas, não sou nenhum craque em informação e vou tentar responder baseado no que vi e ouvi, nada substitui um profissional da área :

Vamos lá!
– Olá Ivan. Você sabe me dizer se fazendo uma pós ou mestrado ai na Austrália, depois eu posso trabalhar ai? Posso validar meu diploma?
Geralmente quem vem para estudar aqui na Austrália já tem permissão de trabalho, isso tudo vai depender do seu nível de inglês. Quanto ao trabalho na área, tudo vai depender do órgão regulamentador da sua área. Na veterinária, por exemplo, você precisa fazer uma prova (em torno de 10.000,00 AUD) e se aprovado e comprovar toda a sua formação bem como a proficiência no idioma, sim, você terá seu registro validado. Alguns casos são aceitos apenas o diploma juramentado. Enfim, vale à pena você consultar o órgão regulamentador da sua profissão e verificar os requisitos para trabalho em sua área.

Sou veterinária formada a 10 anos, mas quero dar uma virada na minha vida. Em qual UNI você estuda? O que fez para estudar? Existem bolsas? O curso é pago?
Bom, estudei na La Trobe University e fiz o curso de Biociências Animal, que é mais voltado para a pesquisa, fui pelo Programa Ciência Sem Fronteiras e anualmente são distribuídas diversas bolsas de estudo para diversos países. Quanto à veterinária, você pode se candidatar a uma vaga diretamente pelo site da universidade, lá inclusive tem informações a respeito dos valores e requisitos, um deles e o mais importante é o inglês, já vá se preparando.
Bolsas? Claro que existem e nesse caso a concorrência é feita com o mundo todo. Uma maneira mais fácil é você verificar bolsas originárias do Brasil, no caso a mais conhecida é o Ciência Sem Fronteiras que não diferente de qualquer processo seletivo também tem diversos requisitos. Nesse caso, pesquisa é fundamental.  Vale à pena dar uma “googada” na net e buscar informações sobre faculdades e bolsas que tem interesse. Muitas bolsas ficam paradas porque as pessoas não as procuram. Por fim, o curso é pago SIM e o valor é bem alto podendo chegar em torno de 12.000,00 AUD anuais já que não residentes não contam com os mesmos benefícios de um residente australiano.

Quantas malas levar?
Isso depende, eu levei duas malas de 32 kg porque iria ficar mais de um ano e meio lá. Depende de você, sou uma pessoa bem apegada às minhas coisas e levei o que podia. Sofri um pouco, mas valeu à pena. Dica, aqui tem o que levar.

Por favor, queria informações sobre custo de vida Melbourne.
Infelizmente Melbourne é uma cidade bem cara. E é cara mesmo! Porém a partir do momento que você começa a trabalhar os valores acabam ficando muito baratos pra você! Vou explicar da maneira como eu falo para meus amigos:
“Um combo do Mc Donald´s no Brasil custa em torno de R$ 23,00, porém um brasileiro às vezes trabalha o dia inteiro para ganhar isso. Lá um combo custa em torno de AUD 8,00, porém você ganha em média 14 à 22,00 AUD´s por hora. Sentiu a diferença? Os custos são altos e não é pra menos, viver em uma das melhores cidades do mundo é relativamente caro, até arranjar o primeiro emprego. Depois disso você não vai querer voltar mais.

 

Queria saber se alguém já foi para visitar a cidade e se preciso de seguro de viagem, alguém pediu na hora de ingressar ao pais?
Eu tive duas obrigações além do visto, a primeira foi a carteira de vacinação internacional atualizada e o seguro saúde, lá não existe SUS. Quanto ao seguro viagem isso vai depender de você e do seu bolso, não é uma exigência, mas cuidado a mais em viagens internacionais nunca são demais. Já tive bagagem extraviada e fui ressarcido, já pensou se eu não tivesse o seguro?

Procuro saber quanto custa o curso todo de medicina veterinária! Pois estou muito interessada, pretendo fazer na Austrália mesmo!
Vou me basear no Diploma em Veterinary Science da Universidade de Melbourne: o valor para um ano de curso é 22.00,00 AUD. Para 5 anos, o valor total seria 110.000,00 AUD. Pode conferir aqui: http://fvas.unimelb.edu.au/

Gostaria de saber se a Hillsong oferece bolsas de estudo?
Infelizmente Não. As bolsas (Scholarships) geralmente são dedicadas aos residentes, que tal procurar sua igreja? Tenho muitos amigos que vieram enviados pela igreja deles. Fica a dica!

Estou pesquisando as cidades de Austrália ou Nova Zelândia! Qualidade de vida nas duas cidades! O custo de vida nas duas cidades!
Morei em Melbourne e visitei a Nova Zelândia. E não teria problema nenhum em ter que optar por uma das duas. A Austrália e um país grande e cosmopolita, algumas de suas cidades, inclusive, estão entre as mais populosas do mundo com milhões de habitantes. A Nova Zelândia é um pouquinho menor e não perde em nada quanto à qualidade de vida. Não é nada incomum encontrar diversos neozelandeses vivendo na Austrália, porém hoje em diversos noticiários facilmente você encontra uma grande migração de australianos para a Nova Zelândia, penso que se os australianos estão migrando para lá, é sinal que algo bom a NZ tem! Amo os 2 e sou mega suspeito em lhe dar essa direção.

Oi Ivan, e se a faculdade de veterinária que fiz aqui no Brasil não for reconhecida na Austrália, tem como exercer a função?
Sim, tem sim. Na verdade nenhuma faculdade brasileira é reconhecida na Austrália em termos de você atuar lá. O que vai lhe permitir trabalhar na Austrália é sua experiência no Brasil, fazer uma prova do órgão que regulamenta sua profissão e obter permissão de trabalho, seja por imigração ou por sponsor.

Qual é a universidade que você estuda? É particular? Quanto custa? Fale um pouco do processo de transferência. Aqui no Brasil você estudava em uma universidade particular ou pública?
Sou aluno do último ano de veterinária, estudante de faculdade particular e bolsista do PROUNI. Os custos geralmente são em torno de 8 a 12.000,00 AUD anuais, isso tudo vai depender da instituição que escolher estudar. Fiz o curso de Biociências Veterinária na La Trobe University em Melbourne e o curso lá custava 6.500,00 AUD/semestre.  O processo de transferência foi aparentemente simples após a aprovação do programa Ciência Sem Fronteiras. Toda a minha documentação foi organizada por um parceiro no Brasil Eu juramentei meus históricos escolares, meus documentos, algumas cartas e outros papeis. Após isso recebi o aceite da faculdade e viajei. Foi bem simples, o que foi um pesadelo foram os diversos processos que o programa Ciência Sem Fronteiras faz.

 Você acha que depois de me formar é melhor eu pegar os dois anos de experiência no Brasil, ou após tirar o IELTS tentar um estágio na própria Austrália e tentar o visto de residente permanente? 
Eu aconselho você a procurar um agente de imigração que poderá te orientar nesse sentido. Apenas com o IELTS acho um pouco difícil você conseguir um estágio. Pela imigração de profissões em demanda você vai precisar de experiência na função de 2 anos, porém o que os sites não contam é que você precisa se regulamentar lá também e isso gera gasto e dinheiro. Por isso aconselho você a procurar esse agente, ele é o mais indicado e vai te orientar de acordo com seu perfil.

Gostaria de ir para a Austrália, porém não sei por onde começar… tenho lido muito e visto vários vídeos sobre, mas não consigo nada concreto! Teria alguma dica de como posso começar?Sim! Pesquise e pesquise muito. Depois procure um agente de imigração ou uma agência de intercâmbio. Fique por dentro dos custos e de todos os percalços que você possivelmente encontrar no meio do caminho. Se depois disso você não desistir, Boa VIAGEM!

Melbourne ou Sydney?
Você encontra aqui!

Bom essas são algumas das perguntas que eu mais recebi por aqui.
Espero ter ajudo e te vejo em breve!
#PartiuAustralia

Anúncios

É preciso ir embora…

Sobre os céus da Nova Zelândia!

Arquivo pessoal: sobre os céus da Nova Zelândia!

E tem dias que a “depressão pós intercâmbio” me pega de surpresa. É aí que parece que o mundo resolve conspirar e lhe bulinar o dia todo…
É aquele momento em que você já está down, com saudade dos seus amigos e família de intercâmbio, da sua antiga casa, de fazer compras no ALDI (o mercado mais barato da Austrália), de viajar ou simplesmente sair sem rumo e, quando você liga a televisão as chamadas e matérias envolvem quem? R.: A Austrália. Aí você muda de canal e no National Geographic está passando um documentário sobre os animais mais perigosos de onde? R: da Austrália. E quando seu despertador toca, o que toca? R: A sua música predileta da sua passagem pela… Austrália. E então você resolve ir pro rádio e descobre que só tem músicas da Austrália! Foi aí que comecei dar uma sapeada pelo mundo virtual (amo ler blogs) e encontrei esse texto incrível! É um texto da Antônia do Antônia no Divã, vale à pena ler! “Negritei” as partes que mais mexeram comigo…

É preciso ir Embora…

Ano passado, na festa de despedida de uma amiga, ouvia calada e com atenção seu dolorido discurso sobre o quanto ela se preocupava com a decisão de ir embora. Dizia se preocupar com a saudade antecipada da família, com a tristeza em deixar um amor pra trás e com a dor de se afastar dos amigos. Ela iria embora para Londres com tantas incertezas sobre cá e lá, que o intercambio mais parecia uma sentença ao exílio.

Dentre dicas e conselhos reconfortantes de outras amigas, lembro-me de interromper a discussão de forma mais fria e prática do que gostaria:

“Quando você estiver dentro daquele avião, olhar pra baixo e ver todas estas dúvidas e desculpas do tamanho de formigas, voltamos a falar. E você vai entrar naquele avião, nem que eu mesma te coloque nele.”

Ela engoliu seco e balançou a cabeça afirmativa.

Penso que na época poderia ter adoçado o conselho. Mas fato é que a minha certeza era irredutível, tudo que ela precisava era perspectiva. Olhar a situação de outro ângulo, de cima, e ver seus dilemas e problemas como quem olha o mundo de um avião. Óbvio, eu não tirei essa experiência da cartola. Eu, como ela, já havia sido a garota atormentada pelas dúvidas de partir, deixando tudo pra trás rumo ao desconhecido. Hoje sei que o medo nada mais era do que fruto da minha (nossa) obsessão em medir ações e ser assertiva. E foi só com o tempo e com as chances que me dei que descobri que não há nada mais libertador e esclarecedor do que o bom e velho tiro no escuro.

Hoje a minha amiga não tem mais dúvida. Celebra a vida que ela criou pra ela mesma lá na terra da rainha, onde eu mesma descobri tanto sobre minha própria realeza. Ironicamente – e também assim como eu – ela aprendeu que é preciso (e vai querer) muitas vezes uma certa distancia do ninho. Aprendeu que nem todo amor arrebatador é amor pra vida inteira. Que os amigos, aqueles de verdade, podem até estar longe, mas nunca distantes. Hoje ela chama o antigo exílio de lar, e adora pegar um avião rumo ao desconhecido. Outras, como eu, e como ela, fizeram o mesmo. Todas entenderam que era preciso ir embora.

É preciso ir embora.

Ir embora é importante para que você entenda que você não é tão importante assim,  que a vida segue, com ou sem você por perto. Pessoas nascem, morrem, casam, separam e resolvem os problemas que antes você acreditava só você resolver. É chocante e libertador – ninguém precisa de você pra seguir vivendo. Nem sua mãe, nem seu pai, nem seu ex-patrão, nem sua pegada, nem ninguém. Parece besteira, mas a maioria de nós tem uma noção bem distorcida da importância do próprio umbigo – novidade para quem sofre deste mal: ninguém é insubstituível ou imprescindível. Lide com isso.

É preciso ir embora.

Ir embora é importante para que você veja que você é muito importante sim! Seja por 2 minutos, seja por 2 anos, quem sente sua falta não sente menos ou mais porque você foi embora – apenas sente por mais tempo! O sentimento não muda. Algumas pessoas nunca vão esquecer do seu aniversario, você estando aqui ou na Austrália. Esse papo de “que saudades de você, vamos nos ver uma hora” é politicagem. Quem sente sua falta vai sempre sentir e agir. E não se preocupe, pois o filtro é natural. Vai ter sempre aquele seleto e especial grupo  que vai terminar a frase “Que saudade de você…”com  “por isso tô te mandando esse áudio”;  ou “porque tá tocando a nossa música” ou “então comprei uma passagem” ou ainda “desce agora que tô passando aí”.

Então vá embora. Vá embora do trabalho que te atormenta. Daquela relação que você sabe não vai dar certo. Vá embora “da galera” que está presente quando convém.  Vá embora da casa dos teus pais. Do teu país. Da sala. Vá embora. Por minutos, por anos ou pra vida. Se ausente, nem que seja pra encontrar com você mesmo. Quanto voltar – e se voltar – vai ver as coisas de outra perspectiva, lá de cima do avião.

As desculpas e pré-ocupações sempre vão existir.  Basta você decidir encarar as mesmas como elas realmente são – do tamanho de formigas.

Antônia.

Pois é, acho que deveria ter negritado o texto inteiro…

A arte de não se adaptar.

Eu sempre ouvi que depois que eu fosse para um intercâmbio, que eu nunca mais seria o mesmo e que eu seria um eterno inconformado… Pois é, foi bem isso aconteceu.

Sempre quando eu converso com as pessoas é infalível eu não ouvir àquela pergunta: “- Mas e aí? Já se adaptou ao Brasil?”

E com unanimidade a minha resposta é sempre: “-NÃO!” 

Segundo o dicionário Michaellis: “Adaptar” a.dap.tar  (lat adaptare) 1. Pôr em harmonia. 2. Fazer acomodar a visão.  3. Tornar apto 4. Combinar, encaixar, justapor: Adaptar um verso a outro. 5. Ajustar (uma coisa a outra). 6. Aclimar-se: Adaptar-se ao meio. 7. Acomodar(-se), pôr(-se) em harmonia. 

A real é que eu acho que NUNCA MAIS vou conseguir me adaptar novamente. E se adaptar tem como significado tudo o que o dicionário aí em cima cita, acho que vai ser bem difícil.

E não é por orgulho, é por não aceitar as coisas da forma como a sociedade impõe. ‘Viver fora’ nos últimos dois anos me fez ver o mundo sem “mimimi”, me fez vivê-lo de verdade.

Eu não preciso terminar uma faculdade e viver trancado em uma clínica atendendo ‘cachorrinhos de madame’ pra ser feliz. Quem disse que eu tenho financiar um carro em 60 parcelas pra me locomover, seu eu posso ter ao meu alcance um transporte público de qualidade. Quem disse que eu preciso ser um assalariado pra ganhar dinheiro? Dinheiro é bom, mas de que me adianta ter uma porção dele e não poder aproveitá-lo com qualidade? Onde está escrito que para viajar eu tenho que fazer tudo agendado e programado por uma agência de viagens se eu posso pegar meu mochilão a qualquer hora e fazer de um passeio simples uma aventura?  Eu não preciso estar 100%  ao lado da minha família para provar que os amo.  Quem disse que eu não posso ter amigos ao redor do mundo? Eu não preciso financiar uma casa em 120 parcelas, EU POSSO SER CIDADÃO DO MUNDO!

É como eu sempre disse: “Eu só resolvi viver diferente do que a sociedade impõe, eu só escolhi ser a peça fora do sistema, escolhi viver segundo o meu coração, eu só escolhi seguir os meus sonhos, eu escolhi ser FELIZ e se para viver dessa forma eu precisar renunciar muito mais: HERE I AM!

charge

Piratas do Caribe 5 será filmado na Austrália

pirates-of-the-caribbean-on-stranger-tides-11592-1680x1050

Pois é! O governo australiano pagou 18 milhões de dólares para a Disney levar a produção ao local.

O quinto filme da série, Piratas do Caribe: Os Mortos não contam Histórias, liderado por Johnny Depp será rodado em não mais, não menos que em um dos estados mais lindos da Austrália, em Queensland.

A confirmação sobre o local das filmagens veio de George Brandis, procurador geral e Ministro das Artes da Austrália, que afirmou que a produção será a maior que o país já recebeu. “O governo australiano está contente por ter garantido que o quinto filme da franquia Piratas do Caribe seja filmado na Austrália com uma contribuição de US$ 18,8 milhões ao projeto. Este é um acordo histórico com a Walt Disney Studios”, disse Brandis.

Por enquanto, nós, aqui no Brasil ficamos ansiosíssimos aguardando as maravilhosas imagens que nos esperam no próximo título.
Fonte: RollingStone Magazine.